Dicas para surf-trip no Peru

O Peru, sem dúvida, é um dos melhores destinos do mundo para uma surf-trip. São mais de 3.000 Km de costa, possuindo uma infinidade de ondas perfeitas e muito constantes. Além do surfe, é um país que tem muito a oferecer em termos de cultura, gastronomia, artes e compras, para quem procura outros interesses além do surfe.

Flag_of_Peru_(state)

Um pouco da Geografia/História Peruana

O Peru, oficialmente chamado de República do Peru, é limitado ao norte pelo Equador e pela Colômbia, a leste pelo Brasil e pela Bolívia e ao sul pelo Chile. O seu litoral, a oeste, é banhado pelo Oceano Pacífico. Sua capital é a cidade de Lima.

O território peruano abrigou a civilização de Caral, uma das mais antigas do mundo, bem como o império Inca, considerado o maior Estado da América pré-colombiana. A sua geografia é variada, exibindo desde planícies áridas da costa do Pacífico, aos picos nevados dos Andes e à floresta amazônica, característica que proporciona a este país diversos recursos naturais.

A população peruana, estimada em 28 milhões, é de origem multiétnica e possui um alto grau de mestiçagem, incluindo ameríndios, europeus, africanos e asiáticos. O país é considerado nação em desenvolvimento e possui um nível de pobreza de 34%. O idioma oficial é o espanhol, ainda que um número significativo de peruanos fale quechua e outras línguas nativas. A mistura de tradições culturais produziu uma rica diversidade de expressões nas artes, na culinária, na literatura e na música do País. Para mais detalhes sobre a história/geografia do país, clique aqui.

Mapa Peru

A história do Surfe Peruano

Embora o berço do surf moderno esteja associado com as ilhas havaianas, no meio do Oceano Pacífico, desde os tempos antigos os primeiros povos peruanos vem tentando “montar” as ondas para pode pescar.

As origens do surf tem duas versões: uma que indica o seu início na Polinésia, e outra que indica o início do esporte na costa norte do Peruana. Esta última versão é baseada nas peças de cerâmica pré-Inca da cultura Mochica, que mostra (aparentemente) homens sobre madeiras, tentando atravessar as ondas.  Ainda que esta última seja uma das versões mais difundidas, nenhuma das versões puderam ser confirmadas.

O que é realidade e ainda hoje pode ser visto nas praias ao norte do Peru são os famosos “caballitos de totora”. Estes “caballitos” são pequenos barcos feitos de caules e folhas de “totora“, uma planta herbácea aquática. A forma dos caballitos de totora se parece um pouco com a forma de uma prancha de surfe. Os pescadores os usam para a pesca artesanal por seu fácil manejo.

Caballitos de Totora em Huanchaco
Caballitos de Totora em Huanchaco

Primeiras épocas do surfe moderno no Peru

O surfe moderno se inicia no Peru no começo da década de 40 quando um jovem chamado Carlos Dogny Larco traz em um barco a primeira prancha de surfe, vinda do Hawaii. Ainda nos anos 30, Dogny foi para o Hawaii, convidado para participar de um torneio de polo. Nas ilhas Havaianas ele acabou por conhecer Duke Kahanamoku, o fundador do surf moderno, que lhe ensinou as técnicas rudimentares de dominar as ondas. Dogny passou então a praticar o esporte e ficou completamente alucinado! Mas quando acontece a segunda guerra mundial Dogny acaba tendo que retornar a Lima.

Após vir pensando e estudando as possibilidades de onde encontrar ondas similares às que havia surfado em Waikiki (Hawaii), Dogny se deparou com a incrível surpresa de que as melhores ondas estavam justo em frente a sua casa em Lima, na praia de Miraflores! Como naquela época o mais importante para uma onda era que ela fosse longa, as praias da Costa Verde de Lima, resultaram perfeitas para esta necessidade.

Um dia as pessoas na praia ficaram maravilhadas de ver como este jovem parava sobre as águas, como se fosse um rei mitológico. Era algo completamente fora do comum. Houve ocasiões em que pessoas pensavam que se tratava da aparição de algum santo, de algo milagroso … até que se convenceram que se tratava de um simples jovem deslisando na onda em uma enorme tábua de madeira.

Como o passar do tempo, um grupo de seguidores passou também a praticar o esporte e em 1942 fundam o Club Waikiki. Em todo o resto do mundo, naquela época, só existiam outros dois clubes de surf, o Outrigger Canoe Club no Hawaii e outro na Austrália. Isto nos dá a ideia de como o Peru foi um dos pioneiros na prática deste esporte.

Chegando ao país

A melhor maneira de chegar ao Peru para uma surf-trip é pegando um vôo até Lima, através de uma das diversas cias aéreas que operam no país. Partindo de São Paulo ou Rio de Janeiro, oito companhias aéreas oferecem voos para Lima: TAM, Aerolíneas Argentinas, Avianca, Taca, American Airlines, LAM e Emirates. Mas as cias que costumam ter a maior frequência de voos e as melhores tarifas são a TACA, a TAM e a LAN. Um voo de POA/São Paulo/Rio de Janeiro até Lima, costuma não levar mais do que 5 horas.

Detalhe importante: A TAM e a LAN não cobram taxa para embarcar as pranchas. O pack de pranchas conta como uma bagagem normal na franquia de bagagem por peso. Você pode despachar um pack contendo até 3 pranchas. Já a TACA irá lhe cobra U$ 50 por pack, que também pode conter até 3 pranchas

O aeroporto de Lima tem uma excelente infra-estrutura e foi considerado alguns anos atrás o melhor aeroporto da América Latina.

Site do Aeroporto Internacional Jorge Chávez: www.lap.com.pe

Lista de empresas para a locação de carro: www.lap.com.pe/lap_portal/alquiler.html

Lista das companhias de táxi: www.lap.com.pe/lap_portal/taxis.html

Aeroporto de Lima
Aeroporto de Lima

Tenho alguns amigos que já viajaram ao Peru de carro, indo pelo Chile, e até de trem (pela Bolívia). Mas, nestes casos, precisa ter bastante tempo e estar com muito espirito de aventura para encarar a jornada. Se for dirigindo e passar pelo Chile, há a necessidade de se obter a Carteira Internacional de Habilitação.

Para nós brasileiros, a carteira de identidade é o único documento exigido para entrar no Peru. De qualquer forma, eu não arrisco viajar sem passaporte (válido por mais 6 meses, no mínimo). Idem em relação ao Certificado Internacional de Vacinação (que deve ser obtida na ANVISA) contendo a vacina da Febre Amarela (esta deve ser tomada ao menos 10 dias antes do embarque). O passaporte pode ser útil também na hora de trocar reais por novos soles, a moeda do país.

Se você for ir direto do aeroporto para alguma região de surfe, recomendo pegar uns soles já no aeroporto. Caso vá dar uma passada em Lima, em Miraflores eu sempre conseguia uma taxa de câmbio mais favorável.

Se você for sacar dinheiro nos ATMs do Peru, te liga no seguinte:

– Você só vai conseguir sacar de 100 em 100 soles. Se você digitar 200, ou 300 ou qualquer outro valor, vai aparecer uma mensagem de que não conseguiu comunicar com seu banco.
– Detalhe: Para cada 100 soles que tu saca, o ATM te cobra uma comissão. Se possível, evite os ATMs da GlobalNet (os amarelos), pois eles cobram 10 soles para cada 100 que você sacar. Prefira os ATMs do BCP (Banco de Crédito do Peru) (cor azul e laranja) onde é cobrado 5,60 soles para cada 100 sacado.

Não esquece de antes de viajar fazer contato com seu banco e habilitar o uso do seu cartão de crédito no Exterior. Atenção clientes Banco do Brasil: Os cartões emitidos pelo BB tem ainda mais uma restrição. Somente estar liberado para uso no Exterior não basta para utilizá-los no Peru, Paraguai e Colômbia. Para estes países, você terá que entrar em contato com a sua agência e informar que irá usar o cartão nestes países e por qual período, para o mesmo ser liberado. O BB tem uma restrição maior de segurança para estes países devido ao grande número de clonagem de cartões nestes destinos. Eu não sabia disto e passei por este problema na primeira vez que estive no Peru. Deem uma olhada neste tópico do site Reclame Aqui.

Lima

– Dicas básicas de Lima: dá uma olhada neste post do Blog Nós no Mundo.

– Indo do aeroporto para o Centro de Lima/Miraflores: Você pode agendar um transfer com o hotel/hostel em que ficará hospedado em Lima. Esta é normalmente uma opção barata e segura. Você vai sair na área do desembarque e estará um sujeito te esperando com uma plaquinha com seu nome. Há ainda os táxis oficiais do aeroporto (mais caros). Outra opção é sair na área de desembarque, ir para o pátio e negociar com os taxistas/vans, que tem aos montes por ali. E prepare-se para começar a treinar a barganha. No Peru, tem que pechinchar muito. Vale a pena, vai por mim. Existem ainda empresas especializadas em transfers/tours, como a Lima Mentor.

– Hospedagem em Lima: Eu recomendo ficar no bairro de Miraflores. Tem dois hostels que eu já fiquei em Miraflores e posso recomendar:

– Hitchhikers Backpackers

Hostal Porta

Há ainda muitos outros em Miraflores, basta uma pesquisada no Trip Advisor.

– Passeios/Atrações

Miraflores é o bairro cool de Lima. Acima do cliff, a beira do oceano pacífico, conta um belo visual. O bairro de Miraflores é uma área bonita e segura, cheia de restaurantes, mercados e lojas, dispondo de uma vasta opção de hotéis e albergues.

Cliff de Miraflores e a Costa Verde
Cliff de Miraflores e a Costa Verde

Miraflores é um bairro com muitos parques, como o “Parque Del Amor”, que fica na beirada do cliff e onde os casaizinhos peruanos ficam atirados ao sol na grama, curtindo a bela paisagem a beira mar em clima romântico..

Parque del Amor
Parque del Amor

Ao lado do “Parque Del Amor” está a área de voo livre, onde pulam as Asa Deltas e Parapentes que sobrevoam a beirada do Cliff.

Lima - Miraflores
Lima – Miraflores

De cima do Cliff, que tem cerca de 70 metros de altura, avistam-se todas as praias da Costa Verde de Lima, e bem abaixo do Parque Del Amor fica o molhe onde está construído o famoso restaurante “Rosa Náutica”, entre as praias de “Makaha” e “Waikiki”.

Restaurante Rosa Náutica
Restaurante Rosa Náutica

Um pouco mais sobre Miraflores, aqui neste post do blog Esse Mundo É Nosso.

O Larcomar é um shopping construído ao ar livre na encosta de frente para o Pacífico. Este local reúne peruanos e turistas interessados em compras ou na social em um dos vários bares e restaurantes estrategicamente posicionados de cara para o mar. Nos fins de tarde, o lugar também atrai gente atrás daquela vista privilegiada para o pôr do sol. Há também boates bem concorridas à noite. Neste shopping tem também boas lojas com equipamentos/materiais de surf. Há ainda uma loja oficial da QuikSilver.

Shopping Larcomar
Shopping Larcomar

O Mercado Inca  é um (um não, vários) mercado de artesanías na Avenida Du Petit Thouars. Para quem procura artigos típicos ou uma lembrança Peru, esse é o lugar.

Mercado Inca
Mercado Inca

Quem vai à Lima, precisa visitar o Centro Histórico da cidade. O local é reconhecido pela Unesco como patrimônio mundial e traz alguns resquícios da época em que Lima era conhecida como a Cidade dos Reis, quando Lima era a cidade mais importante no poder dos espanhóis na América do Sul. A Plaza Mayor – ou Plaza de Armas – é o ponto principal. Ao seu redor ficam a Catedral de Lima, o Palácio do Governo, a Prefeitura e diversos outros prédios históricos de arquitetura colonial espanhola.

Da Plaza de Armas saem uns micro-ônibus de turismo, que fazem um tour guiado no centro histórico e sobem até o topo do Cerro San Cristobal (de onde pode-se observar toda a cidade de Lima), por apenas 5 soles, ou seja, R$ 3,00. Isso mesmo.

Plaza de Armas - Lima
Plaza de Armas – Lima

Outro passeio bacana é o Parque das Águas, que é um conjunto de 13 fontes ornamentais que foram construídas no Parque de la Reserva, considerado patrimônio cultural do Peru. Estas fontes marcaram um recorde no Guinness Book, ao ser considerado “O maior complexo de fontes do mundo em um parque público”. Estas diversas fontes imensas de água, contam com show de luzes projetadas e som, além de túneis de água e formas bem psicodélicas … O legal é ir a noite!

Dá mais uma olhada neste post.

Circuito Magico del Agua – Lima
Circuito Magico del Agua – Lima

– Surfe em Lima

Costa Verde: a Costa Verde é o circuito de praias da cidade de Lima. São diversos picos. Em Agua Dulce (na altura dos bairros Barranco/Chorrillos) quando o mar está grande quebra uma boa onda chamada “Triângulo“. Waikiki e Makaha ficam no bairro de Miraflores e são ideais para longboarders e iniciantes. La Pampilla, Punta Roquitas e Tres Picos também estão localizadas no distrito de Miraflores e estão muito próximas entre si. São ondas bastante similares, grossas, lentas e longas, boas para longboarders. Quando o mar está grande podem ficar pesadas.  As três praias são divididas por pequenos molhes de pedras. São muito consistentes, já que recebem todo o tipo de swell.

Swell bombando a Costa Verde de Lima
Swell bombando a Costa Verde de Lima

La Herradura: A praia de La Herradura está localizada no sul de Lima, mais precisamente no bairro de Chorrillos. É considerada por muitos a melhor onda do Peru. É uma longa esquerda com sessões de tubos e manobras, mas que precisa de swell grande(6′ a 15′) para funcionar. Quando quebra, o crowd é pesado. Quando Pico Alto começar a dar as caras na região de Punta Hermosa, então é sinal que deve ter onda em La Herradura.

La Herradura
La Herradura

– Compras

O Centro Comercial Jokey Plaza, que é o maior shopping de Lima e tem lojas da QuikSilver, Rip Curl, Hurley, Billabong, Volcom, além das lojas de departamentos Rippley e Saga Falabella.

A Rippley e Saga Falabella tem nos seus interiores stands de quase todas as principais marcas de surf-wear. Os preços são muuito convidativos. Estas lojas estão também espalhadas por toda a cidade e nos principais shoppings.

Outro shopping grande de Lima, e que fica a apenas 15 min do aeroporto, é o C.C. Plaza San Miguel. Neste lugar tem lojas da QuikSilver, Rip Curl, Billabong, Big Head, além de ter Ripley e Saga Fallabela.

O Centro Comercial Polvos Azueles, é um shopping popular onde tem roupas em geral, tênis, perfumes e eletrônicos bem baratos.

– Outlets

Oneill (https://www.facebook.com/ONeillPeru/info)

Av. Santa Cruz 851, Miraflores

Quiksilver (https://www.facebook.com/QuiksilverPeru/info)

C.C. Jockey Plaza
Larcomar
C.C. Plaza San Miguel
Los Portales Lima – Outlet
Real Plaza Primavera
Av. Camino Real 1278, San Isidro

Rip Curl (https://www.facebook.com/ripcurl.pe/info)

Jockey Plaza
CC. Caminos del Inca
Plaza San Miguel
Mall Aventura Plaza-Trujillo
Sur Plaza Boulevard-Asia
CC. El Polo II

contacto@ripcurl.com.pe

Billabong (http://www.billabong.com/sa/stores/pe)

C.C. Jockey Plaza
C.C. Plaza San Miguel
C.C. Regatas Plaza
Billabong Miraflores (Avenida Benavides 1744)

Huntington Outlet

CC. Camino Real Nivel B tienda 101 /102

Hurley

C.C. Jockey Plaza

– Outras lojas grandes de equipamento de surfe:

Volcom House (Av. Benavides 1836, Miraflores)

Pico Alto Surf Shop (Monterrey 224, Surco)

A Klimax é a maior e mais conceituada fábrica de pranchas do Peru. A loja/fábrica da Klimax fica em Miraflores e tem pranchas excelentes e capas/sarcófagos muito baratos.

A Boz é a principal marca de Wetsuits do Peru. A loja deles é em Miraflores também. (Angamos Oeste 1130)

Surfe na Região de Punta Hermosa (Ao sul de Lima)

A região de Punta Hermosa fica a cerca de 40 Km ao sul de Lima. Esta é uma das principais regiões de surfe do Peru, contando diversos picos clássicos como Punta Rocas, La Isla, Señoritas, Caballeros, El Paso, El Silêncio, Arica, e também 3 dos melhores picos de ondas gigantes da América do Sul: Pico Alto, Kon Tiki e Peñascal. Adicionalmente, Punta Hermosa serve como base também para quem quer surfar os picos mais ao sul, como Puerto Viejo, Cerro Azul e Pepinos.

Surf spots do Departamento de Lima
Surf spots do Departamento de Lima

A região é muito constante. É difícil não ter onda. Quando entram os grandes swells de sul, é a alegria dos big riders. A maioria das ondas são no outside e com bastante volume d’água. Por isso, prepare uma prancha maior para ir surfar esta região, pois se levar as merrequeiras, elas certamente só irão para passear.

– Como chegar

Punta Hermosa é pertinho de Lima, cerca de uma hora desde o aeroporto. Se você não for alugar carro, ao meu ver, o melhor negócio e já deixar acertado um transfer diretamente com a pousada que você vá ficar em Punta Hermosa. Neste caso, eles irão mandar alguém ficar te esperando na saída do desembarque do aeroporto de Lima com uma plaquinha com seu nome.

Outra opção, é saindo da área de desembarque do aeroporto, caminhar até o pátio e negociar um táxi. Repetindo a dica, pechinche muito.

Em Punta Hermosa você vai poder surfar vários picos a pé, ou pegando os famosos tuc-tuc (moto-táxis) e micro-ônibus/vans, gastando algumas moedinhas de soles.

Alugue carro somente se você quiser se deslocar para os picos mais ao sul, ou se for subir de carro posteriormente para o norte. Há a opção também de alugar um carro diretamente nas pousadas em Punta Hermosa.

– Hospedagem

Existem várias pousadas para hospedar-se nas diversas praias da região de Punta Hermosa. Eu sempre fico no Luisfer SurfCamp, situado na praia de La Isla. O Luisfer é um surfista peruano casca-grossa, uma lenda do big-surf lá, e ele toca a pousada junto com a sua mulher, a Flávia. O lugar é simples, mas tem tudo o que precisa. O valor gira em torno dos U$ 25 por dia, com pensão completa (café-da-manhã/almoço/janta). O local é um reduto dos brasileiros. Tem banho quente e wi-fi.

Contato: luisfersurf@terra.com.pe

Site: http://luisfersurfcamp.com/

Outro local que eu posso recomendar é o Pico Alto SurfCamp.

Contato: surfcampperu@picoalto.com.pe

Site: http://www.picoalto.com.pe/

Se tiverem outras recomendações de hospedagem, por favor, postem nos comentários para compartilharmos.

– Picos de surfe da região

Arica: localizada no Km 35 da Panamericana Sur, é uma praia aberta e ao largo dela quebram vários picos de direitas e esquerdas. No lado sul, em uma formação de pedras, quebram boas direitas

El Silêncio: quando nas praias mais ao sul da região as ondas estão grandes, no Km 38 quebra uma direita sobre pedras bem afiadas. Não é tão constante e normalmente não é muito longa, mas dependendo da direção e do tamanho do swell, mas pode ser uma boa opção quando tudo está “over” mais ao sul.

Caballeros: Localizada no extremo norte da baía que forma junto com o pico de Señoritas. É uma direita que quebra sobre fundo de pedras e que apresenta boa constância o ano todo.

Señoritas: É uma onda clássica da região de Punta Hermosa, quebrando de 3 a 10 pés, e que funciona melhor em maré baixa subindo. É uma esquerda potente em fundo de pedras

Pico Alto: Se o que desejas é surfar montanhas gigantes de água, Pico Alto é o point que não deves deixar de visitar. Pico Alto é a maior onda da América do Sul e uma das maiores do mundo. Representa no Peru a essência do surfe em ondas grandes. Quebra a 1,5 Km da costa e pode chegar a ter mais de 30 pés de altura, proporcionando um longo percurso de surfe. A maioria das ondas são direitas, mas podem aparecer boas esquerdas também;

El Paso: Praia ao norte de La Isla, tendo uma onda de grande qualidade, mas não tão constante. É uma direita potente que quebra sobre um fundo de pedras, suportando até 12 pés de onda.

La Isla: É uma onda clássica da zona de Punta Hermosa. Funciona o ano todo, sendo uma das ondas mais consistentes do Peru, uma vez que recebe todas as direções de swell. O point fica um pouco ao lado da ilha que está unida artificialmente ao continente por um molhe. É uma direita muito longa, com um drop fácil e várias sessões bem diferenciadas, com partes mais paradas e outras com uma parede com bastante força. O fundo é um reef de pedras, mas que não apresenta dificuldades.

Kon Tiki: Localizada no meio da baía de La Isla, delimitada por Punta Rocas ao sul e La Isla ao norte. A onda é um outer reef, de grande profundidade. Quebra a 400 metros da costa e por isso que a remada para entrar e sair é puxada. Obviamente, para  surfar aqui tem que estar em grande estado físico e ter experiência em ondas grandes.

A onda funciona a partir dos 10 pés e segura até 20 pés. As pranchas que se utilizam aqui são as mesmas que para Pico Alto, ou seja, guns de mais de 8 pés.

As ondas são direitas e esquerdas longas, fortes e surpreendentes, pois nem sempre quebram no mesmo local. Elas vem com muita água e suas fortes espumas podem arrastar o surfista por um bom tempo e um longo trajeto. Como se isto fosse pouco, há uma forte corrente com direção à zona de impacto e geralmente não há crowd. As vezes a situação aqui pode converter-se em uma experiência bastante perigosa.

Punta Rocas: está localizada no Km 46 da Panamerica Sur, onde há um pórtico como indicador. Este é um lugar histórico para o surfe do Peru, já que foi ali onde em 1969, quando era realizada uma das etapas do circuito mundial, o peruano Felipe Pomar se consagrou campeão mundial de surfe, convertendo-se assim, no único sul-americano a alcançar este feito.

Punta Rocas é uma onda oceânica sobre uma bancada de pedras. É uma longa remada até se chegar no point. Neste lugar, quebram tanto direitas como esquerdas, porém, a melhor e a clássica de Punta Rocas é a direita. É uma onda que proporciona um longo percurso ao surfista e, além disso, é um dos picos mais constantes do Peru, quiças do mundo ! Sempre tem onda em Punta Rocas ! O tamanho da onda varia de 3 à 15 pés, e é recomendável sempre surfar de prancha grande, de 6’5’’ à 8’, devido ao fato de ser uma onda com muita potência e volume de água, mesmo nos dias menores.

Explosibles: O inside de Punta Rocas, um pouco mais ao sul, é chamado de Explosibles. É um shorebreack de grande qualidade, com uma onda que quebra bem perto da beira, com baixa profundidade e muita força, sendo comum ver muitas pranchas quebradas por lá.

Peñascal: esta onda está localizada no extremo norte da baía do balneário de San Bartolo, e é considerada, por sua grande potencia e tamanho, junto com San Gallán, uma das melhores direitas do país. Quando quebra com mais de 10 pés a coisa fica séria e alguns a chamam de “Sunset Peruano”.

A onda precisa de pelo menos 6 pés para começar a funcionar. O lip é grosso, ao estilo hawaiano, e a espuma é muito poderosa. Somente para surfistas experientes. Suporta até 20 pés de tamanho. O equipamento recomendado são prancha grandes, entre 7 e 8 pés.

San Bartolo: situada por volta do Km 60 da Panamericana Sur, é o balneário mais importante da zona de Punta Hermosa. É como uma cidade pequena, possuindo toda a infra-estrutura. No verão a praia fica repleta de banhistas e rola uma noite forte.

Nesta praia quebram duas ondas, uma esquerda e uma direita (conhecidas como Derechitas e Izquierditas), cada uma localizada em um dos lados do molhe, localizado no meio da praia. A esquerda é geralmente mais pequena, porém mais perfeita que a direita.
Em ambas o fundo é de pedra e tem que ter cuidado na saída por causa dos ouriços. A entrada se faz atirando-se do molhe.

Há ainda muitos outros picos na região de Punta Hermosa. Vale o ditado: quem procura, acha!

– Um pouco mais ao sul …

Puerto Viejo: Puerto Viejo fica no Km 70 da Panamericana Sur, cerca de 30 Kms de Punta Hermosa. Esquerdas em fundo de areia que quebra melhor com swell grande. Suporta até 7 pés de ondas, com até 200 metros de percurso.

Cerro Azul: situado no Km 132 da Panamericana Sur, a uns 85 Km de Punta Hermosa. Cerro Azul é um point break de esquerdas perfeitas que começam no point e terminam no molhe no meio da praia, com aproximadamente 200 metros de percurso.

Pepinos: esquerda com fundo de pedras redondas. Bem constante. Praia de difícil acesso, situada a cerca do Km 155 da Panamerica Sur. Se estiver hospedado no Luisfer, pede um mapinha para a Flávia.

– Descendo um pouco mais, San Gallán …

San Gallán, é um conjunto de ilhas situada no departamento de ICA, cerca de 200 km ao sul da região de Punta Hermosa. A ilha principal, onde quebram as melhores ondas, é uma ilha grande com cerros que passam dos 400 metros de altura.

O único meio de chegar à ilha é através de barco desde o porto de El Chaco, um pequeno povoado de pescadores, onde há diferentes opções para chegar, que dependem do dinheiro que se queira gastar e do quão apressado se está por surfar.

– A opção mais econômica e a que leva mais tempo (cerca de 2 horas) é ir nos botes dos pescadores;
– Outra, é ir em lanchas mais potentes que levam cerca de 30-40 minutos (custam cerca de U$ 150) e também estão na baía de Pisco.

Em ambos os casos, as embarcações esperam os surfistas desde cedo até as 3-4 da tarde, hora em que regressam.

– Uma terceira opção, muito mais prazerosa, e também mais cara, é juntar um grupo de amigos e alugar um barco com todas as comodidades para ficar ancorado por alguns dias em frente ao point. A principal vantagem desta opção é que se pode surfar nas primeiras horas da manhã sem ninguém na água, antes que cheguem os outros barcos que vem durante o dia.

As ondas de San Gallán são direitas, que são consideradas umas das melhores do Peru. Sua forma é tubular e tem de 2 a 3 sessões, dependendo do swell. São ondas muito fortes, já que são ondas de alto-mar. O fundo é um reef afiado, motivo pelo qual aconselha-se usar botas. A temperatura da água é geralmente muito fria, aconselhando-se a levar long 4/3.
É importante levar tudo o que vai precisar no barco, como água e mantimentos, já que a trip dura ao menos um dia na ilha e lá não há absolutamente nada. A viajem de retorno ao continente não deve ser feita muito tarde já que o vento paracas começa a soprar forte no final de tarde, tornando a volta muito perigosa.

Ao meu ver, a melhor opção é descer de carro até Pisco (Km 235 da Panamericana Sur) e dormir lá, para no outro dia de manhã cedinho pegar o barco para a ilha. Pisco é um local que possui todos os serviços necessários (hospedagem, mercados, internet, etc..).

– Sítio Arqueológico de Pachacámac

Se por um milagre rolar um flat na região de Punta Hermosa, ou se você estiver precisando dar um tempo para os seus braços e decidir ficar um dia sem surfar (mais provável), uma boa opção então é ir conhecer o Sítio Arqueológico de Pachacámac, situado no distrito de Lurin, a poucos km de Punta Hermosa. Pachacámac era considerado o deus criador da Terra. A construção do templo se iniciou com os povos Limas, no ano 200 a.C. Com o passar do tempo, o local foi ocupado por outros povos, os Wari (650 d.C.), Ischma (1200 a 1450 d.C) e Incas (1450-1532 d.C.), sendo abandonado com a chegada dos colonizadores espanhóis.

Surfe na região Norte do Peru

Região de La Libertad (Pacasmayo, Chicama, Puemapi, Huanchaco)

A região de La Libertad é uma região de fácil acesso e se caracteriza por suas excelentes ondas e também pelos locais de interesse histórico. Localizada perto de Trujillo, possui uma grande quantidade de ruínas. Chan Chan, por exemplo, é a maior cidade de barro do mundo, e foi a capital do império Chimu. Quanto às ondas, basta dizer que nesta região estão algumas das esquerdas mais longas do mundo.

tripperu2010_165_b2.jpg

– Como ir

De avião…

O aeroporto mais próximo é o de Trujillo (localizado, na verdade, em Huanchaco).

– LAN (http://www.lan.com/)
– TAM (http://www.tam.com.br/)
– TACA (http://www.taca.com/)

De ônibus…

Eu considero a melhor opção. Pega-se um bus em Lima e vai dormindo tranquilo até Pacasmayo. Abaixo, as empresas de ônibus que fazem esta rota:

– Cruz Del Sur (http://www.cruzdelsur.com.pe/)

– Cial (http://www.expresocial.com/esp/index.php)

– Exclusiva / Civa (http://www.excluciva.com.pe/) (http://www.civa.com.pe/)

Já viajei com todas elas e todas são muito boas. Oferecem ônibus de 2 andares com Bus-Cama (que deita 180 graus). Vale a pena sair na noite de Lima, passar a madrugada viajando, para chegar de manhã em Pacasmayo (chega por volta das 7-8 da manhã), assim não perde nenhum dia de surfe.

ATENÇÃO: Lima não possui uma rodoviária que centraliza as saídas e chegadas dos ônibus. Cada empresa de ônibus possui o seu próprio terminal e é deles que você irá partir/chegar.

De carro…

Se subir de carro para o Norte, vale uma parada no caminho para conferir picos como Centinela e Bermejo, duas esquerdas espetaculares.

Centinela está localizada na altura do Km 154 da Panamericana Norte, perto de Huaura, ainda no departamento de Lima. Para chegar no pico, tem que passar por um pequeno povoado chamado Chacaca, por um caminho de terra. O caminho é complicado, melhor ir parando e perguntando.

A onda de Centinela é uma esquerda de excelente qualidade e suporta até 8 pés. É um pointbreak de esquerdas perfeitas e muito longas.

Bermejo está situada no Km 223 da Panamericana Norte, já no departamento de Ancash. Esta onda é outro pointbreak de esquerdas bem longas com uma sessão de tubo mais próxima ao point para depois ficar uma onda mais manobrável nas sessões seguintes.

Para chegar nos picos da região de La Libertad, tem que encarar ainda mais de 300 Km ao Norte. Trujillo fica no Km 560 da Panamericana Norte. Huanchaco é logo ao lado, por volta do Km 572. Chicama se acessa por Paiján (Km 614), enquanto a entrada para Poemapi está no Km 656 e, por fim, Pacasmayo fica no Km 669.

Procure viajar de dia. À noite é casca, tanto pela estrada quanto pelos ladrones e la policia choricera.

– Pacasmayo

Pacasmayo está localizada no Km 669 ao norte da estrada Panamericana e fica em uma grande baía. Tem uma praia da pedra e areia, além de um calçadão agradável com casas velhas. É uma cidade pequena com aparência de povoado interiorano, com um centrinho de ruas calçadas e um comércio diversificado.  A parte periférica é feia, suja e deteriorada … parece que o cara está no Iraque …

El Faro” é o nome da onda que quebra nesse incrível lugar. Tem este nome pelo fato de o point ser em frente a um farol no extremo sul de Pacasmayo. É uma esquerda perfeita como a famosa Chicama, mas com a diferença de sempre quebrar com pelo menos duas vezes o tamanho da sua vizinha. É um point breack para esquerda muito constante e simplesmente interminável. É possivelmente a esquerda mais longa do mundo (apesar de muitos afirmarem ser Chicama). A distância percorrida nesta onda nos melhores dias pode deixar o surfista no centrinho de Pacasmayo, a cerca de 1,5 Km de distância !!

– Hospedagem

Em Pacasmayo tem duas pousada muito boas e barata para ficar: o El Mirador e a Los Faroles. Estão uma de frente para a outra, e paga-se cerca de 20-25 dólares por dia com pensão completa (café, almoço e janta). Na Los Faroles, se tu preferir, pode pagar só a hospedagem (20 soles) e fazer os rangos fora (tem uns restaurantes bons no centro de Pacasmayo).

Um ponto positivo de ficar na Los Faroles também é que o dono do bote que faz o resgate na onda de Pacasmayo (Carlos) mora ali. Aí tu já faz a parceria com o cara e arruma um descuento. Pacasmayo é uma esquerda muuuito longa, até mais que Chicama e bem mais constante. Porém como também tem bastante corrente, com o bote te rebocando até o pico, poderás aproveitar bem mais as sessões.

Há ainda outra opção mais confortável e mais aconselhável para quem viaja com a patroa, que é o Hotel El Faro.

– Chicama

Puerto Chicama está a cerca de uma hora para Norte de Trujillo, mais ou menos a meio do caminho como quem vai para Pacasmayo. Para chegar lá, tem que se apanhar a Panamericana e sair em Paijan. O ponto de referência para virar em Paijan é o cemitério e uma pequena praça. Seguir a estrada de alcatrão. Na dúvida perguntar ou seguir os minivans Dorado. De Paijan a Puerto Chicama são 15 km.

Para ir de bus desde Trujillo, a melhor alternativa é apanhar o minibus Dorado, que vai até Puerto Chicama. Outra hipótese, é apanhar um ônibus da Linea para Pacasmayo (6 Soles) e pedir para sair em Paijan. A mesma coisa, mas no sentido inverso, se o ponto de partida for Pacasmayo. Daí, apanhar um minibus Dorado (1 Sole), que passa a toda hora. Paijan tem um ambiente um bocado agressivo, não convém chegar lá sem se saber bem o que se está a fazer ou por onde ir. Os taxistas têm fama de estarem feitos com ladrões, deste modo, o minibus Dorado é a opção certa.

Chicama é mundialmente conhecida por ser a esquerda mais longa do mundo (na verdade, El Faro em Pacasmayo é mais longa que Chicama). É um point breack de esquerdas que quebram paralelas a um morro. São ondas muito longas, que permitem até 4 min. de surf. Funciona de 4 a 8 pés.

– Hospedagem

Atualmente, Chicama já conta com boas e suficientes acomodações mesmo em frente ao pico, ficando a 5 minutos a pé do centro.

Los Delphines

Iguana Inn Hotel (Iguanainnperu@gmail.com)

Hotel Chicama Beach

Chicama Surf Resort

– Puemapi

Puemapi está mais ou menos a 15 Km ao sul de Pacasmayo. É o pico da região que normalmente está com o maior tamanho. Geralmente a proporção é a seguinte: se Pacasmayo estiver com 2 metros, terá 1 em Chicama e 3 em Puemapi. A onda em Puemapi, como todas as demais da região, é um point break de esquerda, que quebra em frente a um reef e logo se mete em uma baía, com uma distância de percurso de uns 300 metros.

Em Puemapi não há praticamente nada, sem opções de hospedagem. O melhor é ficar em Pacasmayo e madrugar para pegar aqui sem vento.

-Huanchaco

Huanchaco está situada no Km 572 da Panamericana Norte, a apenas 10 minutos de Trujillo. Pertinho de Huanchaco estão as Ruínas de Chan Chan, a maior cidade de barro do mundo. Outro atrativo deste local são os famosos Caballitos de Totora, que podem ser vistos à direita do molhe da praia principal de Huanchaco. As ondas de Huanchaco são esquerdas (melhores) e também direitas que quebram sobre um fundo de pedras redondas e areia ao longo da praia. A extensão das ondas é mediana e suporta swell de até 8 pés, pois acima disto as ondas começam a fechar. É uma onda bastante manobrável, que dificilmente se poe em forma tubular.

– Ruínas de Chan Chan

A apenas 4 km a oeste da cidade de Trujillo se pode visitar a maior cidade de barro já criada em toda América. Contruída no século XII, foi a capital do estado Chimú, que se estima que albergava mais de 100.000 habitantes em uma superfície de 20 Km quadrados.

Atualmente se pode percorrer as distintas partes do que já foi alguma vez esta cidade, declarada pela Unesco como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. No museo, logo na entrada, se podem ver evidências de como civilizações antigas começaram a correr ondas com suas embarcações feitas a mão e com materiais naturais, conhecidas como os Caballitos de Totora. Isto se sucedia muito tempo antes de que as antigas tribos da Polinésia e Hawaii começacem a praticar o ritual de reis que, muitos anos depois terminou se desenvolvendo até converter-se no surfe que todos conhecemos.

Região de Lobitos (Baterias, El Hueco, Lobitos, Los Muelles, Piscinas)

Lobitos, fica bem ao norte do Peru, a apenas 200 km da fronteira com o Equador, no departamento de Piura. Fica ao lado da cidade de Talara, que está localizada no Km 1095 da Panamericana Norte. Está situada no meio do deserto e rodeada por uma grande quantidade de poços de petróleo.

Lobitos e os demais picos desta região ficam em uma área que costumava ser uma base militar, construída pelos Estado Unidos na década de 50 e depois, ocupada pelas forças peruanas. A melhor época para surfar esta região é de maio à outubro, quando entram os grandes swells de sul e sudoeste.

RegiaoPiura

– Como ir

De avião…

O aeroporto operando mais próximo é o de Piura. Até o ano de 2012 a StarPeru estava operando vôos de Lima para Talara, mas infelizmente ela parou de fazer esta rota.

– LAN (http://www.lan.com/)
– Peruvian Airlines (http://www.peruvian.pe/)
– TACA (http://www.taca.com/)

De ônibus…

Procure um ônibus que te leve direto para Talara. Se o seu ponto de partida for Lima ou Piura, isto não será problema, agora partindo de outros locais, talvez você tenha que fazer algum pit-stop em Piura ou Chiclayo, para então conseguir um ônibus até Talara.

– Cruz Del Sur (http://www.cruzdelsur.com.pe/)

– Cial (http://www.expresocial.com/esp/index.php)

– Exclusiva / Civa (http://www.excluciva.com.pe/) (http://www.civa.com.pe/)

– Transportes Linea (http://www.transporteslinea.com.pe/)

– Transportes Chiclayo (http://www.transporteschiclayo.com/)

– EPPO (http://www.eppo.com.pe/)

– Tepsa (http://www.tepsa.com.pe/)

– Indo de Pacasmayo para Lobitos

Você pode fazer isso durante todo o dia, tomando o ônibus da Linea para Chiclayo, e depois com a mesma operadora, pegar o ônibus conectando a Piura. Em Piura, encontrar a estação de ônibus EPPO e tomar um ônibus direto para Talara. Se você fizer a viagem durante a noite, vá com a Cruz Del Sur ou Exclusiva para Talara.

– Indo de Piura/Mâncora para Lobitos

Se você estiver aqui, você está nas proximidades de Talara e Lobitos, portanto. Tudo que você precisa fazer aqui é encontrar a estação de ônibus EPPO e pegar um bus que vai levá-lo até Talara (sai a cada 10 minutos).

Você finalmente chegou em Talara, Lobitos é próxima parada.

Se você estiver chegando de ônibus em Talara, para ir até Lobitos você tem 3 opções: 1) Táxi direto para Lobitos, 2) Moto táxi e 3) Ônibus Lobitos. O táxi vai tentar cobrar 40 soles, uma moto táxi vai de 25 soles. Se você não quiser pagar isso, pode pedir-lhes para levá-lo até o ponto do Ônibus Lobitos e aqui você pode pegar um ônibus para Lobitos por 3 soles por pessoa.

talara-bus-stops

De carro…

Fé em Deus e pé na tábua, são mais de 1000 Kms ao norte de Lima !

– Hospedagem/alimentação

Lobitos é um pequeno povoado no meio do nada. São poucas as opções de lugares para comer e até mesmo um mercadinho/venda é difícil de conseguir.

Centro de Lobitos !
Centro de Lobitos !

Eu já fiquei hospedado no Hotel Lobitos. É bem baixado, de frente para o pico, mas não é barato. Se estiver sozinho, vai custar uns U$ 60 por dia, apenas com café-da-manhã. O contato do Hotel Lobitos é: hotellobitos@gmail.com

Tenho alguns amigos que já se hospedaram no Aitama (lobitosperu@hotmail.com) e passaram um ótimo feedback.

Para fazer o rango há um lugar muuuito bom, o Restaurante Sabor Peruano de Cora. A comida é sensacional e bem barata. Peça um Lomo Saltado lá. Fica próximo ao pier.

Cocina Peruana ... buenassa !
Cocina Peruana … buenassa !

– Picos de Surfe

LobitosA onda de Lobitos é uma esquerda perfeita, que chega até a 2 metros e é muito longa. Começa a quebrar em um pontão de rochas com fundo de areia e há tubos que abrem em várias sessões. 

Lobitos perfeito !
Lobitos perfeito !

El Hueco: A onda de El Hueco está localizada dando a volta no reef de Lobitos. É uma esquerda extremamente oca que se surfa em maré baixa, bem próximo às pedras. Começa a funcionar com 2 metros e pode chegar a medir até 3 metros. Não é uma onda tão longa, mas a sua intensidade é impressionante. É muito perigosa por causa do Reef, já que o take off está justamente em frente às rochas. Forma tubos pesados e só é aconselhável para surfistas mais experimentados.

El Hueco
El Hueco

Baterias: é outro pico da região, um pouco mais ao sul de Lobitos e El Hueco, onde quebra outra esquerda interessante. Leva este nome por causa das baterias de petróleo que estão em cima do cerro na frente do pico. Geralmente está mais grande e é mais constante que Lobitos, porém é mais sensível ao vento. As ondas são frequentemente tubulares e são melhores em maré baixa.

Los Muelles:  é a onda que quebra ao lado do Pier que fica entre Lobitos e Piscinas. Normalmente uma onda tranquila, com alguns tubinhos. Aqui podem abrir direitas e esquerdas (principalmente), dependendo da direção do swell.

Piscinas: As ondas de Piscinas são esquerdas longas e perfeitas, suportando swell de até 6 pés. É uma onda tranquila, boa para manobras, que começa a quebrar no canto das pedras (onde há uma piscina de pedras) e em seguida, se abre sobre a baía.

Secrets: Dependendo da sua habilidade em fazer amizade e interagir com os locais, você ainda pode acabar conhecendo outros secrets da região onde rolam altas ondas!

– Mais arriba …

Ainda mais ao norte há outras ondas clássicas do Peru. Eu ainda não tive a oportunidade de conhecer esta região, portanto não tenho como passar dicas de hospedagens e muitos detalhes. Desta forma, vou me ater apenas a dar uma descrição dos principais picos da área. É uma região que apresenta um clima mais quente e onde rolam boas ondas especialmente no verão, pois vários points funcionam bem com os swells de norte que chegam durante esta estação.

Cabo Blanco esquerda super tubular. Onda muito cultuada pelos peruanos. Fica no extremo norte do Peru.  Situada em torno do Km 1137. Tubo perfeito do início ao fim. Funciona do swell de norte ou nordeste de novembro à fevereiro. Chega a quebrar com até 10 pés. Considerado um dos melhores tubos do Peru.

Panic Point: pico localizado no extremo sul da baía de Cabo Blanco, detrás do cliff. Esquerdas que funcionam com swell de sul de abril à outubro e que chegam a quebrar com até 14 pés. Sua forma é tubular e de grande velocidade. Somente para experts em tubos. Onda agressiva e perigosa. Quebra em frente a um reef de pedras e sobre um fundo de rocha filosa, coberta de cochas.

Organos: Situada no Km 1152 da Panamericana Norte. Funciona durante o verão (dezembro à março) com swell de norte. Esquerda tubular, longa e perfeita.

Máncora: é um pequeno povoado de pescadores na altura do Km 1162 da Panamerica Norte. O local possui todos os serviços disponíveis (hospedagem, restaurantes, mercados, etc..) e, além de surfistas, se veem aqui multidões de estudantes e turistas que se juntam aos moradores e viajantes de fim de semana vindos de Lima, em busca de praia, calor e vida noturna.

As ondas de Mancora quebram no extremo sul do povoado, perto da ponte desde onde se vê o point. Tem boas paredes e, dependendo da quantidade de areia está cobrindo as rochas, aparecem também algumas seções de tubo. Funciona o ano todo, mas a melhor estação é o verão. É geralmente uma onda suave, consistente e crowdeada, principalmente no verão.

– Dicas Importantes

– Beba somente água mineral se você não quiser comprometer a sua trip. Se possível, use água mineral inclusive para escovar os dentes. Ninguém quer perder 4 dias em uma surf-trip por causa de um piriri.

– Pechinche sempre. Todos os preços são negociáveis.

– Site para checar a previsão das ondas no Peru: http://magicseaweed.com/

– EXTRA-SURF: Cuzco e Machu Picchu

Machu Picchu e Cuzco são dois lugares que não podes deixar de visitar. Se for ao Peru, recomendo muito que destine ao menos 4 ou 5 dias para vivenciar um pouco destes lugares magníficos.

Cuzco
Cuzco
Machu Picchu
Machu Picchu

Aqui no blog, escrevi dois posts específicos sobre estes locais, quando os visitei em 2010. Nestes posts há dicas sobre passeios, pontos de interesse e também de hospedagem. Confira clicando nos links abaixo:

Cuzco

Machu Picchu


Você pode ver mais dicas de surfe/viagem no Peru acessando os diários de bordo das trips que eu fiz para lá. Veja a lista de todos os posts sobre o Peru, clicando aqui.

Por fim, se tiverem outras dicas interessantes, comentem e compartilhem !

Antes de emitir as passagens aérea, pede uma cotação para os meus brothers Serginho e Victor, da AIT Surf  Operadora (sergio@surftrips.tur.br / victor@surftrips.tur.br). Manda um mail para eles, ou liga 21-2622-0510, fala que tu é amigo do Andrei “Tiburón” de Porto Alegre, que eles sempre conseguem preços bem melhores do que emitir diretamente pelo site das cias aéreas.

Boa trip !!

 

 

Anúncios

90 comentários sobre “Dicas para surf-trip no Peru

  1. Parabéns pelo o blog! queria tirar uma duvida, em dezembro em lima, as ondas são boas? ou o swell é muito pequeno? saberia me informar? Melhor blog q encontrei!

    nao sou surfista profissional, mas ja sei direitinho. até pensei em ir ate Chicama mas acho q vou ficar so pela regiao de miraflores, acho q ja é suficiente.

  2. Aloha, vou para Pacasmayo em Dezembro-17. Alguém sabe dicas de filmagens por lá? Queria fazer umas sessões de fotos para aproveitar essa trip. Alguém indo no mesmo período para o El Faro? Abraços. Ricardo zap +5524999737108.

    1. Fala garoto! Em Pacasmayo fale com o Luizito, que com certeza você terá boas imagens e ainda por cima o cara é super gente boa! – taí o face dele! – Luis Enrique Aguirre Alaya – Boas ondas!

  3. Oiii tudo bem? muito legal as dicas , ótimo trabalho!
    Vc teria algumas dicas de quais praias podem ser mais recomendadas para quem surfar há pouco tempo? De preferência com fundo de areia e ondas mais gordas.
    Obrigada pela ajuda :))

  4. ola boa noite, tudo bem?

    Eu estou tentando uma oportunidade de trabalho em puerto chicama e no momento estava em busca de informações sobre a cidade, sobre como é viver por lá, como é a cultura da cidade, a qualidade de vida pra quem trabalha por lá, os preços, etc…

    E nao consigo achar muito informação sobre o local que não seja relacionada a onda hahaha
    Bom sinal 🙂 mas tu por acaso saberia me dizer algo, ou onde posso encontrar?

    Desde já grato pela sua atenção
    e parabéns pelo post detalhadíssimo 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s