O tubarão

O apelido “El Tiburón” surgiu a partir de um episódio pouco comum, e que, talvez por isso, tenha dado tanta repercussão.

No dia 30 de janeiro de 2010,  eu estava surfando ao lado da plataforma de Atlântida-RS  quando fui mordido no pé, supostamente,  por um Tubarão.

Eu surfava no lado sul da plataforma quando por volta das 20 hrs alguma coisa mordeu fortemente meu pé … Na hora, não vi o que era … apenas, no reflexo, subi (deitei) em cima da prancha e comecei a remar p/ longe dali … Eu pedi p/ outro surfista olhar meu pé e analisar o que tinha acontecido … o pé sangrava, doía muito e sentia ele adormecido … O camarada falou que sangrava bastante, que tinha um rasgo no pé e, assustado, falou para a gente sair do mar, q ele iria me ajudar …

Chegando na areia, constatamos que tinha aberto um naco do lado interno do pé direito  …. um pessoal que estava por ali, ajudou a estancar o ferimento com uma lycra e um senhor me levou em sua camionete até o hospital de Capão da Canoa … Ao chegar na emergência, o enfermeiro que avaliou logo disse que iriam me encaminhar para a sala de procedimento cirúrgico, porque havia a necessidade de  limpar,  analisar o dano e costurar o local. Quando ele retirou a lycra que estancava o ferimento, voltou a sair muito sangue ….

O médico que me atendeu, fez a limpeza do local, anestesiou e costurou a parte que tinha descolado na lateral do pé … Este médico deu o diagnostico de que se tratava de mordida de tubarão …

Com o pé costurado (14 pontos no total) , enfaixado e imobilizado, fui levado para meu apartamento em Capão, pelo casal de amigos meus Rogério Rammé e Marla Lima, que me deram o auxílio naquele momento. Ambos acompanharam o procedimento no hospital e também estavam incrédulos com o ocorrido.

Até então não havia caído a ficha do que tinha ocorrido e eu estava apenas preocupado com a viagem que eu tinha marcada para surfar o Peru dali a 10 dias .. me dando conta que possivelmente não conseguiria viajar por causa do ferimento no pé.

Tomei todos os remédios e anti-inflamatórios receitados pelo médico e dormi com o pézão latejando.

No dia seguinte, para minha surpresa, logo após ao meio-dia, bate a RBS no meu interfone querendo fazer uma reportagem sobre o que havia ocorrido. Não sei de que forma o fato chegou até a eles, muito menos como encontraram meu endereço, mas cerca de duas horas depois da visita deles, comecei a receber inúmeras ligações de conhecidos dizendo que escutaram uma reportagem na Rádio Gaúcha sobre um ataque de Tubarão no litoral RS e o meu depoimento.

Na mesma noite, saiu uma matéria no Tele-Domingo.

No dia seguinte, sai uma foto minha na capa da Zero Hora e uma reportagem de uma página sobre o episódio. A partir de daí virou loucura … passei cerca de dois dias atendendo a todos os veículos de imprensa, que queriam saber detalhes e investigar o fato…

Depois de toda esta audiência, os amigos, não deixaram passar a oportunidade, e me atribuíram o novo apelido: “El Tiburón”, que em espanhol significa “O Tubarão”.

Com o passar do tempo, acabei conhecendo outras pessoas que passaram por situações semelhantes no litoral do RS e descobri outros episódios de mordidas à surfistas também documentados pela imprensa, mas que, do mesmo modo que o ocorrido comigo, não teve uma investigação que chegasse uma conclusão precisa sobre o incidente.

Abaixo, algumas fotos do pé costurado e também o registro de algumas reportagens que saíram nos veículos de imprensa:

Anúncios

Um comentário sobre “O tubarão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s