Califórnia – Highway 1, Malibu, Rincon e a Big Sur

Com o mar totalmente flat no sul da Califórnia, dia 20 de março acordamos bem cedo em San Diego, tomamos o café da manhã no hotel e pegamos a estrada para fazermos a Pacific Coast Highway até San Francisco, considerada um dos “scenic drive” mais belos de todo o mundo.

A Pacific Coast Highway é o nome dado à auto-estrada Califórnia State Route 1 (CA-1), também chamada de Highway 1 (H-1), a maior estrada costeira da Califórnia, conectando diversas localidades desde Dana Point no sul até Leggett no norte do estado, e famosa por cortar deslumbrantes paisagens praianas em sua extensão.

Além de fornecer uma rota cênica de inúmeras atrações ao longo da costa, a rota também serve como uma importante via em áreas como da Grande Los Angeles, de San Francisco, e várias outras áreas urbanas costeiras. Em seu percurso cruza também pequenos balneários como Santa Mônica e Malibu.

A sessão da Big Sur entre San Luis Obispo até Carmel é oficialmente reconhecida pelo governo americano como uma National Scenic Byway, por seu valor arqueológico, cultural, histórico, natural, recreacional e de qualidades cênicas.

Pacific Coast Highway - Califórnia State Route 1
Pacific Coast Highway – Califórnia State Route 1
CA-1
CA-1
Mugu Rock - California Route 1
Mugu Rock – California Route 1

A maior parte da H-1 é costeando o mar e o visual é incrível. Ela não é a opção mais rápida, mas com certeza é uma das estradas mais bonitas e famosas dos Estados Unidos. É uma rota para ser percorrida sem pressa, tanto por causa de suas curvas, mas, principalmente, pela quantidade enorme de mirantes irresistíveis a uma paradinha.

Já próximo a Los Angeles, fizemos um rápido pit-stop na cidade de Santa Ana para visitarmos outro outlet da Rip Curl, pois eu queria comprar um short que a filial de San Clemente havia me informado que só tinha nesta loja. Compra feita, cruzamos Los Angeles e Santa Mônica, seguindo até chegar em Malibu, onde fizemos outra parada para conhecer este que é um dos mais famosos e mais crowdeados pointbreaks de direitas do mundo.

Apelidado de “o Bu” por surfistas e moradores locais, a comunidade é famosa por suas praias de areia quente, e por ser o lar de muitas estrelas de cinema de Hollywood e outros associados à indústria do entretenimento. Sinais ao redor da cidade proclamam “27 milhas de beleza cênica”, referindo-se ao comprimento original de Malibu de 27 milhas (43 km). O local serviu de cenário de várias séries famosas de TV, como Two and a Half Men e Bay Watch – conhecido no Brasil como SOS Malibu. Apesar das belas mansões das celebridades com pés-direitos altíssimos, Malibu transpira um charme de cidade pequena e assim como a maioria das localidades praianas do condado de LA, a cultura surfe é onipresente.

Malibu teve um grande impacto na cultura surfe nas décadas de 50 e 60 e na popularização do esporte. Nesta época, o local estava no coração do surfe californiano, não apenas por se tratar de um spot com ondas de classe mundial para o tipo de surfe praticado naquele momento, mas também por sua atmosfera de praia jovial e o seu clima ameno. Lindas garotas usando biquinis “reveladores” e rapazes de bermudas passaram a “pavonear” no local, e, juntamente com as pranchas de surfe, tornaram-se símbolos da cultura de praia. Na década de 50, em Malibu criou-se um novo estilo de surfar – o hot dog, com ênfase no nose-ride -. Também em Malibu apareceu, em 1956, Gidget – a adolescente surfista que inspirou livro, filme, série televisiva, ajudando o esporte a alcançar uma popularidade inesperada. As pranchas “Malibu” e o estilo californiano de surfar logo se espalharam pelo mundo. O enredo do clássico filme Endless Summer de 1966 foi a busca de, nas palavras do diretor-narrador do filme, “um lugar tão bom quanto Malibu”. Crowds insanas passaram a lotar o local. Para alguns, toda esta popularidade era indesejada, tornando Malibu pioneira também quando se trata de “localismo“.

A onda de Malibu é uma onda longa, e que funciona bem com grandes swells de sul. É mais gorda/deitada/escorrida com maré cheia, ficando mais tubular a medida que a maré vai secando. Os longboarders amam desde sempre esta onda e quando tem swell seguramente há centenas deles no pico e, muitas vezes, vários compartilhando a mesma onda. A onda de Malibu consiste em três sessões separadas: O “Third Point”, mais ao norte, funciona em maré média, sendo uma sessão rápida e oca. Com swell grande, conecta com o “Second Point”, uma sessão longa, com uma parede “gerenciável” em maré média, porém quase impossível de passar em maré baixa. “First Point” é a sessão mais consistente e, portanto, a mais surfada de Malibu, estendendo-se até o pier.

Em 2010, Malibu foi designada como Reserva Mundial do Surf (World Surfing Reserve).

Conforme já esperávamos, pelo que apontavam os gráficos das previsões, não havia nada de onda em Malibu neste dia.

Malibu
Malibu
Pier de Malibu
Pier de Malibu
Malibu
Malibu
Gravação em Malibu
Gravação em Malibu
Vista aérea de Malibu
Vista aérea de Malibu

De Malibu, seguimos viagem pela H-1 até Ricon, localizada em Carpinteria, bem na divisa dos condados de Ventura e Santa Barbara. A praia fica colada ao longo da U.S. Route 101, que neste trecho, funde-se com a H-1, e passa na beira do mar. Também conhecida como “A Rainha da Costa”, Rincon é um dos picos de surfe mais famosos da California, conhecida no mundo todo por suas longas e perfeitas ondas. O livro “100 Best Surf Spots in the World” ranqueou Rincon como a de número 24. A onda de Rincon funciona melhor em maré baixa e é mais constante no inverno com swells vindo de direção oeste e noroeste. Um condomínio fechado ocupa a maior parte beira da praia. Entretanto, o acesso público é provido através de caminhos em ambos os lados do condomínio, e o local possui também estacionamento (Rincon Beach Park) com banheiros e área de pic-nic.

Rincon é referenciada no clássica música “Surfin’ Safari” do “The Beach Boys”, lançada em 1962:

At Huntington and Malibu
They’re shooting the pier
At Rincon they’re walking the nose
We’re going on safari to the islands this year
So if you’re coming get ready to go

Por causa da qualidade das ondas, pessoas do mundo todo viajam para surfar Rincon, resultando as vezes em uma condição de crowd extrema no pico.

Rincon
Rincon
Rincon
Rincon
Rincon - Caminho do estacionamento para a praia
Rincon – Caminho do estacionamento para a praia
Rincon Beach
Rincon Beach

Após conhecermos Rincon, continuamos nossa jornada pela Highway-1. Passamos por Santa Bárbara, a “Riviera Americana”, mas decidimos não gastar muito tempo lá, pois na volta do norte, faríamos um pernoite na cidade, o que nos oportunizaria conhecê-la melhor. Seguimos o passeio curtindo as paisagens sem fazer paradas até San Luis Obispo, onde começa o trecho mais alucinante da H-1, com paisagens iradas.

California State Route 1
California State Route 1

A região conhecida como Big Sur é o ponto alto do passeio na Highway-1. A Big Sur é uma área pouco povoada da Costa Central da Califórnia, onde as montanhas Santa Lucia (Santa Lucia Mountain Range) elevam-se abruptamente do Oceano Pacífico, criando lindas paisagens naturais a beira-mar.

Região da Big Sur
Região da Big Sur
California State Route 1
California State Route 1
California State Route 1
California State Route 1
Gorda
Gorda
Big Sur
Big Sur
Big Sur
Big Sur

A rodovia apresenta neste trecho muitos mirantes estrategicamente colocados, permitindo aos motoristas parar e admirar a paisagem. A seção da Highway 1 que atravessa a Big Sur é amplamente considerada como um dos mais belos percursos de condução dos Estados Unidos, se não do mundo. Estes pontos de parada com visuais de tirar o fôlego foram uma das razões para que a Big Sur ficasse em segundo lugar entre todos os destinos Estados Unidos no “TripAdvisor’s Travelers’ Choice Destination Awards” de 2008.

Descendo de SK8 a lomba da Big Sur
Descendo de SK8 a H-1 na Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur
CA-1 - Big Sur
CA-1 – Big Sur

O parque estadual Julia Pfeiffer Burns abriga um dos principais cartões postais da região: a cachoeira McWay Falls. As águas da cachoeira despencam de uma altura de 25 metros diretamente na areia da praia. O local onde a cachoeira desemboca é de difícil acesso por terra e por motivos de segurança e de preservação da área, o acesso a praia não é permitido ao visitante do parque, restando apenas observá-la do mirante ou acessá-la de barco.

McWay Falls
McWay Falls
McWay Falls
McWay Falls
McWay Falls
McWay Falls
McWay Falls
McWay Falls

Paramos logo adiante da McWay Falls para curtirmos o por do sol em um dos mirantes da H-1, uma vez que o sol já estava por aparecer sob a massa de nuvens que cobria o céu neste dia, e deixava apenas uma linha aberta no horizonte. Parecia que a natureza estava preparando o cenário para dar o seu espetáculo e curtimos um final de tarde impressionante neste local.

Big Sur
Big Sur
McWay Rocks - Big Sur
McWay Rocks – Big Sur
Final de tarde fantástico na Big Sur
Final de tarde fantástico na Big Sur
Big Sur
Big Sur
Final de tarde fantástico na Big Sur
Final de tarde fantástico na Big Sur
Final de tarde fantástico na Big Sur
Final de tarde fantástico na Big Sur
Por-do-sol irado na Big Sur
Por-do-sol irado na Big Sur
Por-do-sol irado na Big Sur
Por-do-sol irado na Big Sur
Por-do-sol irado na Big Sur
Por-do-sol irado na Big Sur
Big Sur
Big Sur
Capa de LP
Capa de LP
Big Sur
Big Sur
Por-do-sol na Big Sur
Por-do-sol na Big Sur
Por-do-sol na Big Sur
Por-do-sol na Big Sur
045 -
Big Sur
Por-do-sol na Big Sur
Por-do-sol na Big Sur
Final de tarde na Big Sur
Final de tarde na Big Sur
Final de tarde na Big Sur
Final de tarde na Big Sur
Final de tarde na Big Sur
Final de tarde na Big Sur

Após curtirmos o por-do-sol, rodamos mais um pouco até chegarmos na Bixby Bridge, que é uma das pontes de concreto mais altas do mundo e também uma das pontes mais fotografadas ao longo da costa do Pacífico, devido à sua concepção estética e localização,  sendo utilizada frequentemente também para comerciais automobilísticos.

Bixby Bridge
Bixby Bridge
Bixby Bridge
Bixby Bridge

Seguimos dirigindo a Highway-1 em direção norte, passando por Carmel, Monterey, até chegarmos em Santa Cruz, outra tradicional surf-city dos EUA, lar de ondas clássicas como  Steamer Lane e Pleasure Point, onde paramos para passarmos à noite.

Em breve escrevo relato sobre a continuação da nossa viagem pela H-1 até San Francisco, passando por Santa Cruz e Mavericks (Half Moon Bay).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s