Trip Equador/Galápagos – Primeiro dia no Equador – Quito

Na manhã do dia 22 de março, eu, o Heron e o Bisotto e a Cris partimos para mais uma surf-trip, tendo como destino desta vez o arquipélago de Galápagos.

Embarque em POA

Galápagos pertence ao Equador, ficando cerca de 1.000 Km a oste da costa Equatoriana em meio ao Oceano Pacífico. O arquipélago é formado por 13 ilhas, sendo apenas 4 habitadas, e metade do seu território está sob proteção ambiental.

Para chegar a Galápagos é necessário voar até o Equador (Quito ou Guayaquil) e de lá tomar outro vôo até as ilhas.Por causa do horário de chegada em Quito/Guayaquil dos vôos provenientes do Brasil, faz-se necessário pernoitar um dia em uma destas cidades, para então, no outro dia bem cedo pegar um dos vôos que partem para Galápagos.

Decidimos fazer a escala em Quito ao invés de Guayaquil, pois mesmo sendo Guayaquil mais perto, a cidade de Quito oferece atrações que realmente valiam a pena serem exploradas.A cidade de Quito, situada a 2.800 metros acima do mar, e rodeada por vulcões (inclusive ativos!), é considerada uma das mais belas da América do Sul, com um centro histórico declarado pela UNESCO como patrimônio histórico da humanidade, onde se passeia por ruas de pedra, casarões coloniais e igrejas barrocas. A capital do Equador também é conhecida por abrigar o ponto turístico que marca o ponto em que a linha do Equador divide os hemisférios Norte e Sul do globo.

Saímos de Porto Alegre às 6:40 da manhã de sexta (22/03).O voo atrasou um pouco pela demora da PF para abrir o embarque internacional, fazendo com que chegássemos além do horário esperado para a escala que teríamos que fazer em Lima, no Peru.

A escala no Peru foi com bastante emoção, pois tivemos que fazer uma correria tremenda para conseguirmos pegar o vôo para Quito, que já estava por partir. Entramos no avião já com todo mundo embarcado, somente nos esperando para decolar. Chegamos em Quito a uma da tarde (são duas horas a menos em relação ao fuso do Brasil).

Desembarque em Quito

Pousamos no novo aeroporto de Quito, que foi inaugurado não fazia um mês. O antigo aeroporto Mariscal Sucre, ficava fincado bem no meio da cidade de Quito, o que era ótimo em termos de localização e agilidade para chegar e sair do aeroporto, porém era considerado um dos aeroportos mais perigosos do mundo, pois Quito está esparramada em um vale no meio das cordilheiras dos andes, rodeado por diversos vulcões, o que dificultava e muito a manobra dos pilotos.

Já o novo aeroporto está bastante distante de Quito. Como o aeroporto recém iniciou as suas operações e está em uma área longe da cidade, tudo parece ainda estar um pouco desorganizado. Não havia muita opção de transporte para fazermos o nosso transfer até o nosso hostel em Quito, e acabamos negociando dois taxis para levar nós 4 mais as malas e os três sarcófagos com as pranchas. Levamos cerca de uma hora e meia do aeroporto até o bairro de Mariscal Sucre, onde ficamos hospedados.

Chegamos no nosso Hostel (Hostal El Arupo) cerca das 3 da tarde. Apenas largamos nossas coisas e fomos procurar algo para almoçar pois estávamos famintos.

Hostal El Arupo

 Mariscal Sucre é o bairro “cool” e mais badalado de Quito, oferecendo diversas opções de hospedagem, restaurantes, bares, agências de turismo e boates. No centro do bairro, está localizada a Plaza Foch que é o ponto a alto do agito, com dezenas de bares e restaurantes com mesas ao ar livre. Foi ali que fizemos o nosso primeiro almuerzo no Equador, no Restaurante BBQ e Co.

Almuerzo na Plaza Foch

O bairro fica a poucos minutos de caminhada do centro histórico e também a poucos minutos do Telefériqo de Quito. E foi para lá que nos tocamos após o almoço.

O TeleferiQo, com “Q” maiúsculo de Quito, é um dos teleféricos mais altos do mundo, subindo a encosta do vulcão Pichincha. De lá tem-se uma visão incrível de Quito, das cordilheiras e dos vulcões. Custa US$8,50 e leva a incríveis 4.100 metros de altitude. Da base final do teleférico, se o fôlego estiver em dia, é possível fazer uma trilha de três horas que leva ao anel formado pela boca do vulcão.

Teleferiqo

A subida do teleférico leva quase 20 minutos e a diferença de temperatura lá em cima é grande. Muito frio !!

Teleferiqo

Ainda quando estávamos lá em cima começou a chover bem forte e o frio aumentou ainda mais. Na descida, caiu um raio daqueles de cinema e paralisou o funcionamento do teleférico !! Ficamos parados a 3 mil e poucos metros por alguns minutos .. TENSO !

Teleferiqo

Mas chegamos sãos e salvos em terra firme e de lá já anoitecendo decidimos voltar para o Hostel para depois sair a jantar em Mariscal.

Tomamos um banho no hostel e demos um role por Mariscal Sucre. Decidimos comer em um restaurante especializado em comida Equatoriana. Aqui no Equador, durante a semana santa, é tradição comer um prato típico chamado Fanesca. É uma espécie de sopa grossa, bem consistente, feita a base de 12 grãos frescos, uma alegoria dos discípulos de Jesus. O Bisotto resolver arriscar e pedir, mas todos acabamos experimentando e aprovando o prato.

Após a janta, fomos direto dormir, pois no outro dia sairíamos cedinho para fazer um tour no vulcão Cotopaxy. Localizado ao sul de Quito, é considerado o vulcão ativo mais alto do mundo .. Este passeio incluía a subida até as geleiras do vulcão e a descida do mesmo em 10 km de Mountain bike.

Quando tiver um tempinho escrevo sobre este segundo dia que foi simplesmente sensacional !!

Abração

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s