África do Sul – Cape Town

Na noite do dia 08 de Setembro de 2014, eu e meu brother Igor Perdomo chegamos a Cape Town, após uma longa viagem percorrendo a Garden Route desde Jeffreys Bay. Cape Town é a segunda área urbana mais populosa da África do Sul e a cidade é a mais visitada em todo o continente africano. O local é famoso por seu magnífico cenário natural e também por pontos turísticos mundialmente conhecidos como a Table Mountain e Cape Point.

Cape Town e a Table Mountain à noite
Cape Town e a Table Mountain à noite
Mapa Turístico de Cape Town
Mapa Turístico de Cape Town

Como chegamos já super tarde da noite na cidade, rumamos direto para a nossa acomodação. Ficamos hospedados no Atlantic Point Backpackers, na área de Green Point. Super bem localizado, com opção de estacionamento interno, bom café da manhã e vários tipos de acomodações, desde quartos privativos, para casal e também quartos econômicos compartilhados. Nesta noite apenas demos uma volta nos arredores do hostel para achar alguma coisa para comer e logo dormimos para descansar e aproveitar bastante o próximo dia.

Atlantic Point Backpackers - Cape Town
Atlantic Point Backpackers – Cape Town

No dia seguinte, acordamos cedo, tomamos café e nos dirigimos para conhecer a Table Mountain, o ponto mais emblemático de Cape Town.

Logo ficamos impressionados com a beleza da cidade, assim como a limpeza e organização. Parecia tudo novinho em folha, nenhuma pichação, ruas e parques bem conservados, tudo muito diferente de uma grande cidade brasileira. Green Point é um dos bairros litorâneos de Cape Town, localizado próximo ao Waterfront e onde fica o Estádio da Cidade do Cabo, utilizado nos jogos da Copa do Mundo de 2010.

No caminho para a Table Mountain passamos por algumas das belas formações rochosas da cidade, entre elas, Lion’s Head, a cabeça de leão. O pico, que ultrapassa os 650m acima do nível do mar, pode ser observado de diferentes áreas.

Lion's Head - Cape Town
Lion’s Head – Cape Town
Table Mountain
Table Mountain

A Table Mountain é o cartão-postal da cidade. Trata-se de uma enorme montanha, com o topo achatado, possuindo cerca de 1.000 metros de altura e cerca de 3 Km de extensão. Situada em área central na cidade, pode ser vista facilmente de praticamente todos os bairros. O cenário lembra um pouco a cadeia de montanhas da Floresta da Tijuca no Rio de Janeiro. Para subir no topo é possível fazer trilhas de aproximadamente 3 horas ou então utilizar o teleférico. Decidimos subir com o bondinho e fazer a descida pela trilha.

Teleférico - Table Mountain
Teleférico – Table Mountain
Teleférico - Table Mountain
Teleférico – Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain

A estação do bondinho e a Table Mountain ficam fechadas quando venta muito ou quando há grande quantidade de nuvens e pouca visibilidade. Volta e meia grandes nuvens resolvem “estacionar” sobre a montanha, o que pode fazer com que a visibilidade seja totalmente prejudicada. Não é incomum o local estar fechado por conta das condições meteorológicas, por isso, é sempre recomendado a quem visita a cidade para que fique ligado nas condições do tempo e suba na primeira oportunidade em que as condições sejam propícias. No site da empresa que administra o local (http://tablemountain.net/) é possível conferir a situação do bondinho e ver se ele está funcionando ou se está fechado.

Nós, particularmente, tivemos muita sorte, pois o tempo neste dia estava perfeito, com céu aberto e apenas com uma pequena uma camada de nuvens sobre a montanha, o que causava o clássico efeito de “cachoeira de nuvens”.

Teleférico - Table Mountain
Teleférico – Table Mountain
Teleférico - Table Mountain
Teleférico – Table Mountain
Teleférico - Table Mountain
Teleférico – Table Mountain
Lion's Head visto desde o teleférico
Lion’s Head visto desde o teleférico
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Visual desde a Table Mountain
Visual desde a Table Mountain
Visual desde a Table Mountain
Visual desde a Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain

O visual em cima da Table Mountain é incrível, sendo o topo da montanha plano e cheio de trilhas e mirantes. Adicionalmente, há um restaurante e café, sendo possível passar o dia todo caminhando lá em cima e admirando os diferentes ângulos e vistas que a montanha proporciona. As praias são lindas e a água claríssima (porém congelante).

Table Mountain
Table Mountain
Vista da Table Mountain
Vista da Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Vista da Table Bay desde a Table Mountain
Vista da Table Bay desde a Table Mountain
Table Mountain e o Green Point Stadium ao fundo
Table Mountain e o Green Point Stadium ao fundo
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain e a Robben Island ao fundo
Table Mountain e a Robben Island ao fundo

Cape Town foi o lar de muitos líderes do movimento anti-apartheid. Na Robben Island, uma antiga ilha penitenciária a 10 quilômetros da cidade, muitos prisioneiros políticos famosos foram mantidos durante anos. O mais célebre destes foi Nelson Mandela, que permaneceu preso na ilha por mais de duas décadas.
Em um dos momentos mais famosos que marcaram o fim do apartheid, Nelson Mandela fez seu primeiro discurso público desde sua prisão na Cidade do Cabo horas após ser liberado em 11 de fevereiro de 1990. Seu discurso anunciou o início de uma nova era para o país, e a primeira eleição democrática, foi realizada quatro anos depois, em 27 de abril de 1994.

Robben Island - Aqui Nelson Mandela permaneceu preso por mais de duas décadas
Robben Island – Aqui Nelson Mandela permaneceu preso por mais de duas décadas
Greend Point Stadium visto da Table Mountain - Ondinhas rolando ao fundo!!
Greend Point Stadium visto da Table Mountain – Ondinhas rolando ao fundo!!
Table Mountain com a "cachoeira de nuvens"
Table Mountain com a “cachoeira de nuvens”
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Estudantes na Table Mountain
Estudantes na Table Mountain

Depois de ficamos algumas horas desfrutando ao máximo o topo da montanha, decidimos procurar as trilhas para iniciarmos a descida. O trajeto pode levar entre 2 a 3 horas e meia de caminhada num nível de dificuldade elevado, uma vez que o terreno é bem inclinado e acidentado. É preciso ter um bom preparo físico para encarar o desafio.

Table Mountain
Table Mountain
Trilha de descida da Table Mountain
Trilha de descida da Table Mountain
Trilha de descida da Table Mountain
Trilha de descida da Table Mountain
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Descendo a Table Mountain pela trilha
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain
Trilha na Table Mountain - Lion's Head ao fundo
Trilha na Table Mountain – Lion’s Head ao fundo
Trilha na Table Mountain - Lion's Head ao fundo
Trilha na Table Mountain – Lion’s Head ao fundo

Depois de mais de duas horas de caminhada chegamos ao final da trilha, próximo a estação do teleférico. Apesar de ser um pouco extenuante, o visual compensa cada gota de suor e todo o esforço empreendido.

Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain

Retornamos então para o nosso hostel e saímos para fazer um rango. A cidade oferece bons restaurantes e não é preciso caminhar muito para encontrar uma boa opção de alimentação.

Na sequencia seguimos para a orla de Green Point para conhecer aquela área e também o Green Point Stadium.

Table Mountain desde Green Point
Table Mountain desde Green Point
Green Point Stadium
Green Point Stadium
Mouille Point
Mouille Point
Mouille Point
Mouille Point
Mouille Point
Mouille Point

Nesta área a beira mar há um calçadão para caminhadas e uma grande área gramada onde as pessoas tomam sol e brincam com seus cachorros. Um dos símbolos de Green Point é seu farol, construído, inicialmente, em 1824. Seguimos caminhando pela orla até Sea Point, um dos bairros litorâneos de Cape Town. A região é muito bonita e também é perfeita para admirar o pôr do sol no final da tarde.

Mouille Point
Mouille Point
Green Point Lighthouse
Green Point Lighthouse
Sea Point Promenade
Sea Point Promenade
Three Anchor Bay
Three Anchor Bay
Sea Point
Sea Point
Sea Point
Sea Point

Voltamos ao hostel ao anoitecer. Jantamos um excelente burger no Hudsons – The Burger Joint na Main Road e, enfim, berço.

Burger no Hudsons – The Burger Joint
Burger no Hudsons – The Burger Joint

No nosso segundo dia em Cape Town, tínhamos como objetivo principal ir até o Cabo da Boa Esperança e aproveitamos a jornada para conhecer vários pontos interessantes no caminho. Dirigir na região da Península do Cabo por si só já é um grande programa. Começamos o dia saíndo de Green Point contornando a Table Mountain por Clifton e Camps Bay em direção sul, até a bonita Hout Bay. O lugar tem restaurantes e várias embarcações ancoradas, e de lá saem os passeios para visitar a Seal Island.

No outside de Hout Bay está localizado a Big Wave conhecida como “Dungeons“, uma das ondas gigantes mais temidas do mundo. A competição anual Red Bull Big Wave Africa é realizada neste local. Ondas de até 47 pés (14,3 m) foram registradas neste local, bem como numerosas mortes relacionadas a prática de surfe, navegação e mergulho na área. O local em si consiste em vários reefs. O mais popular é chamado “2.5” por ser de 2,5 metros (8,20 pés) de profundidade. Atrás dele fica o “3.5”, que é de 3.5 metros (11,48 pés) de profundidade. Há também um reef que é reputado por ser capaz de segurar ondas de até 100 ft (30 m) de altura. Antes de usar jet-skis para entrar e sair da área os surfistas que enfrentavam essas águas tinham que remar por um canal escuro e profundo, para chegar até o ponto onde as ondas quebram.

Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Table Mountain
Hout Bay
Hout Bay
Hout Bay
Hout Bay
Hout Bay
Hout Bay

De Hout Bay seguimos então pela Chapman’s Peak Drive, em direção à Simon’s Town e Boulders Beach. A Chapman’s Peak Drive é uma rota de 9km que contorna o Chapman’s Peak e oferece o prazer de dirigir em uma estrada belíssima, além de uma visão espetacular.

Chapmans Peak Drive
Chapmans Peak Drive
Noordhoek Beach
Noordhoek Beach
Simon's Town
Simon’s Town
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach

Boulders Beach é uma praia composta por pequenas enseadas entre rochedos de granito. Fica na False Bay, costa leste da Península do Cabo, entre Simon’s Town e Cape Point. A grande atração aqui é uma colônia de Pinguins africanos que ali se instalou a partir de 1982.

Embora situada no meio de uma área residencial, é um dos poucos locais onde esta vulnerável ave pode ser observada de perto vagando livremente em um ambiente natural protegido. De apenas dois pares reprodutores em 1982, a colônia de pinguins cresceu para cerca de 3.000 aves nos últimos anos. Isto deve-se em parte à redução da pesca de arrasto na False Bay, o que aumentou a oferta de sardinhas e anchova, que fazem parte da dieta dos pinguins.

Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach
Pinguins-africanos - Boulders Beach
Pinguins-africanos – Boulders Beach

De Boulders Beach seguimos para o Cabo da Boa Esperança, a península no sul do continente africano que foi contornada pela primeira vez em 1488, por Bartolomeu Dias.

Mapa da península do Cabo da Boa Esperança
Mapa da península do Cabo da Boa Esperança

Ao contrário do que comumente se acredita, este cabo não é o extremo meridional do continente africano, que é o cabo Agulhas. É considerado um dos grandes cabos dos oceanos meridionais, e teve especial significado para os marinheiros durante muitos séculos. Contam as crônicas da época de Bartolomeu que, como foi avistado depois de vários dias em que os marinheiros sofreram violentas tempestades (tormentas), aquele navegador lhe pôs o nome de cabo das Tormentas. Ao retornar, entretanto, com a notícia, o rei João II de Portugal mudou-lhe o nome porque, ao ser dobrado, mostrou a ligação entre o oceano Atlântico e o oceano Índico e prometia a tão desejada chegada à Índia. Chamou-lhe, por isso, cabo da Boa Esperança.

Cabo da boa esperança
Cabo da boa esperança
Cape Point
Cape Point

No Cabo da Boa Esperança está Cape Point, a bela ponta da península do Cabo, famosa pela sua bela vista para o mar. Ao conhecer Cape Point, se vê dois picos e, em um deles, mais ao alto, está um bonito farol, datado de 1860.

Cape Point
Cape Point
Cabo da boa esperança
Cabo da boa esperança
Cape of Good Hope
Cape of Good Hope
Cape Of Good Hope
Cape Of Good Hope
Cape Of Good Hope
Cape Of Good Hope
Cape Of Good Hope
Cape Of Good Hope

Ao conhecer o Cabo da Boa Esperança, é importante tomar cuidado com os babuínos, um animal tipicamente africano encontrado em abundância na região e que podem ser agressivos. Ao longo de todo o caminho existem diversas placas alertando da presença deles. As placas alertam as pessoas para que não alimentem os babuínos em hipótese alguma, pois eles são animais selvagens e podem se tornar perigosos. Eles aprenderam a abrir carros e a roubar bolsas, por exemplo, por isso deve-se evitar o contato.

Babuinos no cabo da boa esperança
Babuínos no cabo da boa esperança
Babuinos no cabo da boa esperança
Babuínos no cabo da boa esperança
Babuinos no cabo da boa esperança
Babuínos no cabo da boa esperança
Babuinos no cabo da boa esperança
Babuínos no cabo da boa esperança
Babuinos no cabo da boa esperança
Babuínos no cabo da boa esperança

Após finalizarmos as visitas aos locais que havíamos nos proposto a conhecer neste dia, regressamos para Cape Town. Ao final da tarde fizemos o check-out do hostel e nos dirigimos para o aeroporto da cidade a fim de devolver o carro que havíamos pego ainda em Port Elizabeth no primeiro dia da nossa trip e, na sequencia, pegar nosso voo para Johannesburg, onde seguiríamos nossa aventura sul-africana. Em breve escrevo contando a continuação da nossa experiência na maior cidade da África do Sul.

Anúncios

Um comentário sobre “África do Sul – Cape Town

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s